Qual a fórmula para uma vida de sucesso?

Qual o segredo do enriquecimento inteligente?

O que fazer para que o dinheiro corra atrás de você e não ao contrario?

Como certa vez ouvi; as perguntas movem o mundo. Mas, será que existe uma resposta certa, exata e fidedigna para tais questionamentos? Alias, é possível auferir tais respostas?

Certamente sim. O problema é que essa resposta exigirá de nós algo; PENSAR!

Somos parte de uma nação guerreira, mas que infelizmente não abraçou uma das bandeiras mais importantes e fundamentais para transformação de vidas; investimento em educação. Mas sinceramente, o pior nem está aí. O triste mesmo é ver que existe uma crença impregnada de que “eu sou fruto da falta de investimento do país”. Num bom português, aprendemos e tomamos para nossa vida, até mesmo de forma inconsciente, que o título de “coitado” é mais valioso do que os diplomas e certificados, ou, em outras palavras, vale mais do que o conhecimento.

Porém, mesmo dentro dessa cultura, existem suas exceções. Pessoas que entenderam que sucesso é sim, algo que se conquista. Que as oportunidades são situações que eu, ou crio, ou permaneço atento para não perder, e que não importa como o mundo age; eu não preciso ser apenas mais um. Posso ser e fazer a diferença. Só depende de mim.

Mas voltando ao início do nosso texto, vamos refletir um pouco mais nas perguntas que fizemos, porém, colocando-nos como ouvintes. Como aqueles que seriam questionados e não como aqueles que estariam questionando. O que você diria? Particularmente, retrucaria:

Quantos livros você já estudou sobre o assunto?

Quantos artigos já estudou?

Com quantas pessoas que alcançaram o sucesso você passou pelo menos 5 minutos conversando sobre assuntos relevantes?

A quantos seminário foi?

Quantos problemas você foi capaz de resolver na sua empresa pensando ao invés apenas de apresenta-lo a superiores?

O claro: Quantas decisões tomou focado nisso?

Certamente o assunto é extenso e poderia discorrer por inúmeras páginas, mas cremos que o mencionado serve para o objetivo central; despertar você a não ter apenas uma cabeça sobre o pescoço, mas a PENSAR, PENSAR e PENSAR.

Somos fruto das nossas escolhas. Das nossas decisões!